110 - Por que investir na Bolsa de Valores?

Essa história de ficar rico da noite para o dia na Bolsa de Valores é, no mínimo, mal contada. Para quem não manja dos paranauês, investir na bolsa pode parecer um jogo de Roleta Russa em um cassino ilegal. Uma boa dica para você, que não está por dentro dos esquemas, é a seguinte: “livre-se das ações perdedoras e deixe as campeãs surfarem na onda".

Ganhar dinheiro anda cada vez mais difícil hoje em dia e guardar alguns trocadinhos no fim do mês é quase um milagre digno da Madre Teresa de Calcutá. Há três semanas contamos para você os segredos sobre como há muitos peixes grandes na Bolsa de Valores e investir assim, sem saber de nada, é perigoso. Mas agora que você já sabe que é um peixe pequeno entre tubarões é hora de descobrir como sobreviver no mercado financeiro. Então pegue um bloco de notas, caneta, calculadora e notebook e prepare-se para apostar suas moedas na Bolsa de Valores do PQPCast!


Links


Assine nosso Feed

Twitter

[FaceBook]

[Instagram]

[ello]

107 - Por que a Bolsa de Valores opera em 3 milissegundos?

Nesse episódio vamos explicar o que é High Frequency Trading, ou compra e venda de ações em alta frequência. Então aperte os cintos, pegue suas moedinhas e prepare-se para descobrir que qualquer um pode investir na bolsa de valores e ficar rico... até você. Venha aplicar no seu futuro bilionário no PQPCast.


Chris Katsuyama era uma daquelas pessoas que compravam e vendiam ações na bolsa de valores o dia todo. Ele é canadense mas foi trabalhar em Nova York na segunda metade da última década e lá, na terra do cachorro-quente, conheceu o maior inimigo do homem moderno: o computador.

Um dia, como de costume, Chris estava em sua mesa observando os preços das ações brilhando em seu monitor. Por causa de uma série de decisões estratégicas ele sempre tinha milhões de ações de empresas para vender e seu plano de ação, em geral, era muito uniforme: esperar por um preço favorável e vender as ações nesse valor... Mas nesse dia ele observou algo diferente.

Sempre que ele tentava vender suas ações o preço no mercado subia e a alta era no segundo exato em que ele apertava Enter.

Chris estava perdendo milhões por causa disso e, enfuriado, foi falar com os técnicos que desenvolveram o sistema de computador que ele usava.

“Deve ser alguma notícia, ou algum evento que você não esta sabendo. Esses eventos sempre fazem os preços mudarem” foi o argumento dos desenvolvedores, meio sem entender do que Chris estava falando.

Mas ele sabia que tinha algo estranho, os preços das ações subiam só quando ele dava o comando, então ele chamou os técnicos até a sua mesa, mostrou sua tela e disse: “Olhem, essa é ação que eu quero comprar. O preço dela é esse aqui e eu vou vender 10 mil ações dessa empresa, ok?!”.

Naquela hora o mercado estava calmo, o preço fixo e sua ordem de venda no gatilho, então ele começou a contar:“Cinco… quatro… três… O preço ainda está o mesmo... dois… ainda continua o mesmo… um...” e apertou o ENTER.

Quase no mesmo instante em que ele deu o ok para a operação o preço das ações deram um salto. Sua ordem foi executada, só que mais cara.

“Vocês viram?” ele disse "EU sou a notícia. EU sou o evento”. Era como se alguém estivesse prevendo os movimentos do Chris e essa pessoa estava vivendo no futuro.
Naquele dia ele ainda não sabia, mas essa forma de negócio se chama High Frequency Trading, ou compra e venda de ações em alta frequência. Hoje em dia mais da metade do tráfego nas bolsas de valores são assim, em alta velocidade e Chris passaria mais de uma década em guerra com eles.


Links


Assine nosso Feed

Twitter

[FaceBook]

[Instagram]

[ello]