89 - Por que contar histórias sobre nossos avós?

Walter e Izabel nasceram em Bariri, uma cidade minúscula do interior de São Paulo e se conheceram andando na praça do coreto. Namoraram à distância quando ele foi para a II Guerra e ela desbravava barreiras para seguir o sonho de ser professora. Se casaram, tiveram filhos, netos e viajaram pelo mundo colecionando memórias.

Dona Teresa era filha de brasileiros. Casou com filho de espanhóis. Juntos, tiveram seis filhos, mas logo aquilo que parecia ser uma linda história de família tomou rumos inesperados e seu marido faleceu quando o filho mais velho do casal tinha só 14 anos. Mas Dona Teresa era uma guerreira e criou sozinha os filhos, 14 netos, cinco bisnetos e dois tataranetos.

   Yugo, Hideko, Julio e Julio Jr. 

   Yugo, Hideko, Julio e Julio Jr. 

Hideko e Yugo são agricultores e comerciantes descendentes de japoneses. Joana e Augusto são retirantes que, como tantos outros, fizeram uma jornada da Paraíba e para São Paulo, mais precisamente o Guarujá. Dois casais que, aparentemente não tinham nada em comum, mas que tiveram suas vidas intercaladas por seus filhos, netos e bisnetos que guardam até hoje emocionantes histórias para contar.

Rosália nasceu em uma família pobre, descendente de escravos e, como todo bom baiano, aprendeu a trabalhar logo cedo. Mas ela sonhava com novos horizontes e uma vida melhor, foi assim que se mudou para São Paulo e foi morar de favor até conquistar seu próprio lugar, onde se tornou mãe e criou uma família com todo o amor que tinha.

Hoje você vai ouvir essas e outras histórias sobre algumas das pessoas anônimas, mas extremamente importantes: nossos avós. Então, sinta-se em casa neste episódio com gostinho de comida de vó e aquele conforto de abraços apertados cheios de amor, agora no PQPCast.


Assine nosso Feed

Twitter

[FaceBook]

[Instagram]

[ello]