Estúdio independente de São Paulo mostra que dá pra fazer games com apoio do estado.

Estúdio Paulista independente

Estúdio Paulista independente

    Pocket-Trap, um estúdio Brasileiro apoiado pela secretaria de cultura de São Paulo, estava no seleto grupo escolhido pela Sony para representar a bandeira independente na Tóquio Game Show 2014. Com seu stand sempre movimentado, o jogo ainda em desenvolvimento “Ninjin: Clash of Carrots” atraiu a atenção de visitantes estrangeiros e japoneses e descolou um lugar entre os mais interessantes na seção indie de acordo com a imprensa nipônica.

    O primeiro jogo do estúdio paulista foi um runner que apareceu na app Store no ano passado e já mostrou a maturidade dos seus integrantes. Com um modelo de compra amigável, onde a primeira parte do game é de graça e só depois de muitas cenouras coletadas e upgrades em sua espada ninja é que o jogador precisa desembolsar algo. O sistema de progressão, os diferentes níveis e level design de Ninjin mostra que o pessoal do Pocket-Trap esta em sintonia com os games mais atuais do gênero. A arte desse runner também tem um traço cartoonesco agradável e sólido. 

    Vale mencionar que o nome Ninjin vem de uma brincadeira com as palavras 'Ninjin' (Cenoura) e 'Ninja' nos caracteres Japoneses. O caracter de leitura Nin(忍) de 'Ninja' com o caracter  jin(参) de 'Ninjin' (Cenoura) formam o nome desse espirituoso runner (忍参).  

    Ninjin:Clash of Carrots será a continuação do primeiro game do estúdio. Um modo história será adicionado junto à um modo similar á Dinasty Warrior (alguém lembra?). Com a arte similar ao primeiro jogo, vamos poder coletar cenouras e descer o sarrafo com nossas espadas ninjas. 

    De acordo com Henrique Caprino, Produtor do Game, o game Ninjin:Clash of Carrots tem previsão de lançamento para o segundo semestre do ano que vem. O estúdio foi um dos  selecionados no edital de 2013 do Município de São Paulo para incentivo ao audiovisual incluindo (pela primeira vez) games. A Pocket-Trap foi contemplada com R$50mil para o desenvolvimento de um projeto mas Caprino garante que terminarão o jogo no perído.

    Ano passado a secretaria de cultura de São Paulo com o Programa de Fomento ao Audiovisuais pela primeira vez também selecionou games e nesse ano não deve ser diferente. Apesar de ser um processo extremamente burocrático, a Pocket-Trap veio pra mostrar que é possível. Vamos ficar de olho no edital desse ano e se você vir promover o game do seu estúdio aqui pelos lados de Tóquio me manda um email.